quinta-feira, 30 de abril de 2009

Como assim é gripe suína?!?!?


Eu sei, eu sei! Não posto nada tá tem mais de 4 dias...
Desculpem-me, mas estava BEM ocupada, eu juro!
Agora vamos ao que interessa:

Gripe suína = Carré em promoção!?!?

Gente, como eu disse antes, eu como carne. Com moderação, claro, mas como! (Um dia me livro desses prazeres carnais...) Só que eu AMO um bom carré bem fritinho e com bastante limão!
E se for acompanhado de uma boa salada de batatas?! (Salada de BATATAS?!?!?! Isso mesmo!)
Aiai. Deu até fome!
Deixa eu me concentrar no texto de verdade...

Eu sei que tem gente morrendo, é péssimo isso, mas se o mercado aqui em baixo fizer promoção de carré EU TO DENTRO! E o Wagner Montes TAMBÉM!
(Desculpa! Tento denovo!)

Bem, o que eu ia dizer de importante é:

PAREM DE SER NEURÓTICOS!

Se aparece um surto de Ébola lá fora logo aparecem filas nos hospitais e TODO MUNDO diz que está com os sintomas do Ébola... Se fosse o caso, meu querido(a), tu só apresentaria, no máximo, sintomas de alergia a madeira. DO TEU CAIXÃO!!
Depois foi a vaca louca, a gripe aviária, a crise mundial... Que mania de imitar mazelas alheias!
Toma vergonha nessa cara que isso que você tem é um resfriado por ter pego chuva no fim de semana!
Nesse ritmo, daqui a pouco vamos sofrer ataques terroristas, teremos tsunamis, terremotos (já tem, só que é pinto perto dos “estrangeiros”...), maremotos (acho que já tem, mas “tá de boa” ainda), proliferação de rappers e estudantes com distúrbios mentais mandando bala nos “amiguinhos” de turma porque a Discovery Kids saiu do ar por 20 minutos!!
Você não acha que já somos donos de uma vasta lista de problemas BEM NACIONAIS? È mesmo necessário importar mais alguns?!

Minha Santa Tartaruga, Mestre Splinter!

segunda-feira, 27 de abril de 2009

O dia em que o teatro entrou na minha vida



Foram vinte e quatro anos de vergonha, mas não uma “VERGONHA” social ou moral, mas sim pessoal: Nunca tinha ido a um teatro. (Não joguem pedras!)

Já ajudei a compor cenários, já ajudei amigos no ensaio das falas, já li livros que inspiraram peças... mas nunca tive o prazer de ir a um teatro. Falha minha.

Mas HOJE, graças ao meu bom Deus e a minha irmã, que me arrancou de meu estado deprê devido uma noite não dormida graças a tosse que me assola (espero que não seja a gripe suína – toc toc toc na madeira!).

Depois de devidamente arrancada da cama e vestindo meu modelinho “Mônica’s red dress” fomos deixar meu sobrinho com a vovó dele e partimos em rumo ao Teatro SESI. Quando cheguei lá me dei conta de que não sabia NADA sobre a peça e nem mesmo quais atores estariam lá – mesmo que soubesse não ia fazer diferença, nunca fui ligada a nomes, muito menos de atores, apenas alguns poucos vagam na minha memória.

Ah sim! Antes que me sacaneiem, eu também não sabia que a peça se tratava de um monólogo...

Continuando: Entrei, tomei um capuccino para acalmar minha garganta e fui sentar-me com meus amigos. Logo a peça começou e junto dela uma das melhores experiências da minha vida! Eu pude presenciar um deslumbrante trabalho de uma linda mulher e inexplicável atriz, cujo nome eu só descobri no final: Elisa Lucinda.

Ao decorrer da peça – que eu não vou contar nenhum pedacinho porque quero muito que TODOS VOCÊS a assistam – eu pude viver da comédia mais hilariante ao drama mais choroso, e com quase nenhum intervalo entre um e outro. A sensação é simplesmente indescritível!

Depois de 2 horas e aproximadamente 50 minutos, estava Eu lá, de pé, aplaudindo alucinadamente e com o rosto cheio de lágrimas querendo uma espécie de “bis”. Ninguém nunca vai compreender o que essa “desvirgindade teatral” significou para esta que vos escreve.

Como deixei escrito num dos livros de visitas que estavam disponíveis na saída, “Esta foi a primeira vez em minha vida que eu venho a um teatro, e graças a você, não será a última!”

Eu tenho muito o que agradecer a Elisa Lucinda.


Obs.: Nunca mais chamarei meus cachinhos de “Cabelo ruim!”





Aqui segue o Poema que ela recita na abertura da peça:



Parem de falar mal da rotina

De Elisa Lucinda (29 de outubro de 1997)

Parem de falar mal da rotina
parem com essa sina anunciada
de que tudo vai mal porque se repete.
Mentira. Bi-mentira:
não vai mal porque repete.
Parece, mas não repete
não pode repetir
É impossível!
O ser é outro
o dia é outro
a hora é outra
e ninguém é tão exato.
Nem em filme.
Pensando firme
nunca ouvi ninguém falar mal de determinadas rotinas:
chuvinha, dia azul, crepúsculo, primavera, lua cheia, céu estrelado, barulho do mar
O que que há?
Parem de falar mal da rotina!
beijo na boca
mão nos peitinhos
água na sede
flor no jardim
colo de mãe
namoro
vaidades de banho e batom
vaidades de terno e gravata
vaidades de jeans e camiseta
pecados, paixões, punhetas
livros, cinemas, gavetas
são nossos óbvios de estimação
e ninguém pra eles fala não
abraço, pau, buceta, inverno,
carinho, sal caneta e quero
são nossas repetições sublimes
e não oprime o que é belo
e não oprime o que aquela hora chama de bom
na nossa peça
na nossa trama
na nossa ordem dramática
nosso tempo então é quando
nossa circunstância é nossa conjugação
Então vamos à lição:
gente-sujeito
vida-predicado
eis a minha oração.
Subordinadas aditivas ou adversativas
aproximem-se!
é verão
é tesão!
O enredo
a gente sempre todo dia tece
o destino aí acontece:
o bem e o mal
tudo depende de mim
sujeito determinado da oração principal.

domingo, 26 de abril de 2009

Você sabia que a Telemar...



Existem coisas que me irritam... Algumas mais que as outras, tipo: maus-tratos contra animais, descaso com as pessoas mais necessitadas, negligência política, irresponsabilidade social, falta de ética, falta de caráter, falta de emprego... essas coisinhas “bobas” que assolam o mundo, né!
Porém, se existe algo que deveria IRRITAR e MUITO toda a população, esse algo é a forma como nos tratam.

Somos todos, diariamente, tratados como um BANDO DE IDIOTAS, e isso porque muita gente assim permite, quando não dá valor a si mesmo como parte integrante da SOCIEDADE!


Pessoal! Tirando uma fatia considerável do povo brasileiro que mal tem acesso à comida e moradia, nós todos, que navegamos pelas ondas e vibes da Internet, estamos com uma das maiores fontes de informação que nem mesmo a história poderia supor!

Quase tudo aqui é informação - Tem muita inutilidade, eu sei, mas ainda existem pessoas sérias, preocupadas em fornecer a quem queira saber tudo o que acontece aqui e mundo afora!

Ok, eu sei que aquele vídeo, daquela piada, daqueles caras lá daquele programa deve mesmo ser muito engraçado... Só que a nossa cara estampada de “Otário” não é!


Há muito tempo atrás eu ouvi falar num projeto de lei sobre algumas mudanças no contrato de prestação de serviços das empresas de telefonia... nessa época falava-se do tal Projeto de Lei 5475 de 2001.

NAQUELA época eu tinha comentado com algumas pessoas e então, az vezes, recebia alguns e-mails falando justamente sobre isso e lembro de ter tentado ligar na época, mas deixei essa tarefa a cargo da minha mãe (ok, pode me xingar que eu deixo!).

O interessante é saber que ATÉ HOJE eu recebo, vez ou outra, um e-mail sobre o assunto, o que é muito bom, tendo em vista que isso quer dizer que alguém ainda se mobilizou sobre o assunto.

Agora, falando do lado ruim... Esse projeto de lei é de 2001!!

CATECE HEIN! Será que só eu percebi que OITO ANOS DEPOIS isso ainda não se resolveu?! E pior!! Ainda tem gente que, quando ouve falar na tal (futura, quem sabe) Lei, faz cara de “JURA?!”

Os nossos governantes têm o importantíssimo papel de nos representar, mas cabe a nós decidir o que deve ser representado! Nossas carências e vontades! Do que vale enfrentar aquela fila pavorosa de 2 em 2 ano (levando em conta a eleição de âmbito nacional e a eleição municipal) e um mês depois não saber em quem votou? Você vai cobrar a quem depois? Você pelo menos sabe que PODE cobrar?



A informação pode ser considerada uma das mais valiosas armas na luta contra o esquecimento do nosso povo.

Na minha humilde opinião, quando o ensinamento das leis foi retirado do cronograma escolar, aquilo sim foi um ataque direto e certeiro contra toda nossa sociedade. Hoje em dias muitas pessoas não conhecem sequer os fundamentos básicos da nossa constituição. As leis, que são praticamente “bichos de outros planetas”, deveriam ser nota de cabeceira, já que o desconhecimento de uma lei não exime o cidadão da responsabilidade no cumprimento (ou descumprimento) da mesma.

Não vou prosseguir em minha revolta pois estou um pouco “acamada” por causa de uma gripe forte e preciso dormir, mas a quem interessar – E que pela graça do meu bom Deus, espero que sejam MUITOS os interessados – aqui segue o link do blog “INFOMANÍACO” http://www.infomaniaco.com.br/curiosidades/verdades-da-internet-o-projeto-de-lei-54762001/ , onde você encontrará mais informações sobre o assunto.

Ligar e votar não vai tomar muito do seu tempo e pode fazer com que, um dia, este projeto torne-se vigente.


“ De que adianta todo o potencial humano quando ainda existem pessoas morrendo todos os dias pelo que outras jogam fora? ”



Fonte de inspiração: E-mail da minha prima o blog acima citado.

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Salve Jorge! Guerreiro! Santo! Salve Jorge!


E a lenda dizía assim:

"...Um horrível dragão saía de vez em quando das profundezas de um lago e atirava fogo contra os muros de uma longínqua cidade do Oriente, trazendo morte com seu mortífero hálito. Para não destruir toda a cidade, o dragão exigia regularmente que lhe entregassem jovens mulheres para serem devoradas.
Um dia coube à filha do Rei ser oferecida em comida ao monstro. O Monarca, que nada pôde fazer para evitar esse horrível destino da tenra filhinha, acompanhou-a com lágrimas até às margens do lago. A princesa parecia irremediavelmente destinada a um fim atroz, quando de repente apareceu um corajoso cavaleiro vindo da Capadócia, montado em um cavalo branco, São Jorge. Destemidamente, enfrentou as perigosas labaredas de fogo que saíam da boca do dragão e as venenosas nuvens de fumaça de enxofre que eram expelidas pelas narinas do monstro.
Após um duro combate, finalmente São Jorge venceu o terrível dragão, com sua espada de ouro e sua lança de aço. O misterioso cavaleiro assegurou ao povo que tinha vindo, em nome de Cristo, para vencer o dragão. Eles deviam converter-se e ser batizados. Para alguns, o dragão (o demônio) simbolizaria a idolatria destruída com as armas da Fé. Já a donzela que o santo defendeu, representaria a província da qual ele extirpou as heresias.
A relação entre o santo e a lua viria de uma lenda antiga que acabou virando crença para muitos. Diz a tradição que as manchas apresentadas pela lua representam o milagroso santo e sua espada pronto para defender aqueles que buscam sua ajuda."

O Guerreiro Romano, convertido para a graça de Nosso Senhor e perseguido pela sua fé.
O Soldado que exibe triunfante sua vitória contra o grande dragão.
Ah! São Jorge! Se to homem fosse guerreiro pra enfrentar os demônios que habitam o seu ser!
Ah! São Jorge! Muito menos mal haveria no mundo...

Não sou católica.

Não sou devota.

Sou ADMIRADORA daquele que, mesmo míticamente, enfrentou o mal o venceu!

Admiro aquele que foi corajoso e alcançou a glória!

No momento em que a humanidade perceber que o maior dos demônios a ser vencido está dentro de cada um de nós, e que essa batalha é pessoal, intransferível e merece ser travada, aí sim, o mundo será um lugar melhor.

Salve Joge Guerreiro!! Salve São Jorge!

Estou vestido com as roupas e as armas de São Jorge!

* Trecho histórico apanhado no site "Paróquia de São Jorge".

http://www.saojorgemartir.com.br/sao_jorge/hist_sj.php




quarta-feira, 22 de abril de 2009

Um “cado” de cada. Notícias da Madrugada.


Coisa de maluco

Que existe corrupção na polícia, todo mundo já está careca de saber, mas toda vez que eu vejo uma notícia sobre grupos paramilitares e lembro o sucesso que o filme “Tropa de Elite” fez, eu juro que não entendo o que a população realmente quer... Afinal de contas, violência é violência e abuso de poder É abuso de poder. Eu, pessoalmente, sou contra as duas coisas. Essa troca de papéis entre a polícia e a bandidagem não deveria ser uma opção válida.


Revolta é apelido

Estava eu lendo os meus e-mails no horário costumeiro (de madrugada), quando vi “brotar” aqui em Copacabana algumas viaturas daquele serviço que acolhe moradores de rua. Até aí, normal, mesmo porque esse tipo de serviço só é costumeiro aqui na Zona Sul, assim como todos os outros serviços básicos que o Estado e as prefeituras deveriam prestar em todas as outras “Zonas” do Rio de Janeiro, e que obviamente é uma utopia minha. Conheço PESSOALMENTE vários bairros da Baixada Fluminense que sequer possuem saneamento básico, coleta de lixo ou pelo menos asfalto (e eu sei disso porque a casa dos meus pais, onde fui criada e passei a maior parte da minha vida localiza-se em Belford Roxo e até hoje a rua é só terra/barro). Bem, voltando ao assunto principal: Estava eu aqui, feliz, pegando um ar na janela e olhando as viaturas lá em baixo. Uma ou outra pessoa saia de uma viatura ou outra, e foi quando eu vi uma cena bizarra e costumeira: Um taxi veio correndo como se estivesse em Interlagos e acabou enfiado na traseira de uma das viaturas que estava PARADA no acostamento da avenida (e com o alerta ligado e mais 4 viaturas pouco atrás dela). Só pra variar o taxista estava errado, não é!? Você já viu algum táxi fazer barbeiragem? Já xingou algum taxista que te fechou numa dessas vias da vida? Já viu algum(uns) táxi(s) causar(em) congestionamento(s) sãopaulino(s)?! Eu já... e como...



Aleluia!!!


Você já deu uma espiada em algum programa religioso desses que habitam a sua TV nas madrugadas? Não? Pois você faz muito bem. Depois de ver um cara “expulsar” uns míseros 10 demônios e fazer umas poucas 30 pessoas “desmaiarem” – provavelmente por causa do português bisonhos dele – resolvi curtir minha insônia e fui ver meu miau dormir. Bem mais produtivo, pode acreditar


Faltou fita métrica

A muralha da China, que tinha + ou – 6 km de comprimento, agora têm 8.851 km!! Não, eu não bebi! Quem bebeu foi o “corno” - e me perdoem a expressão – que teve que medir aquilo tudo... Poxa gente! Dá um desconto! Haja fita métrica pra medir aquilo tudo... E haja saco hein!

Tsunami Indiano


Olha, sempre a-do-rei a cultura indiana, assim como a chinesa, a japonesa, a árabe (e espero voltar logo às aulas de dança do ventre). Só que ultimamente, mais exatamente DEPOIS que você sabe qual novela entrou no ar em você sabe qual emissora, isso está se tornando um inferno! Não, eu não sou nenhuma rabugenta que queria exclusividade em meus acessórios indianos, só que essa coisa da mídia mandar e desmandar em tudo já esgotou minha paciência faz tempo! Ainda bem que nunca passou nenhuma novela cujo núcleo central (uma as palavras mais redundantes que os noveleiros adoram usar) girasse em torno de um casal terrorista-homem-mulher-bomba-fanático(a)... Se bem que, se fosse o caso, seria no mínimo interessante ver algumas explosões “bem localizadas”. Alguém tem alguma sugestão? Obs.: E eu nem comentei sobre a loja virtual da tal emissora pra vender itens da tal novela... HAJA!



Vou tomar uma cerva. Até mais tarde!

segunda-feira, 20 de abril de 2009

RPG - Diversão x Polêmica


Como todos podem ver aqui neste mui humilde blog, eu sou rpgista. Isso não quer dizer que eu esteja fazendo qualquer tipo de fisioterapia baseada em Reeducação Postural Global (mas confesso que estou precisando). Caso você tenha parado aqui por engano, não se preocupe! Basta sentar-se confortavelmente a sua poltrona ortopédica e apreciar o tema que vem a seguir: O Role-Playng Game, o RPG para os mais íntimos.
Existem muitos mitos ao redor RPG, e a grande maioria deles baseiam-se na violência e na ambientação dos mesmos. Claro que isso depende e muito da “orelha” que captou a mensagem, vou dar mostrar o exemplo:

Se eu ouço falar em RPG lembro-me logo das sessões de Mulheres Machonas – um dos muitos tipos de ambientação que se encontra em livros e sites de RPG, com o tema “comédia”. Também me vem a memória muitos dos personagens que já criei e interpretei, inclusive, a minha personagem mais antiga, que dá o nome deste blog. Não consigo me esquecer das tardes cheias de risadas e dos encontros em eventos de RPG que pude participar. Ah sim! Têm também os amigos que fiz e as experiências de vida que ganhei, pois a maioria das campanhas de RPG requer de seus participantes muito empenho no trabalho em grupo. Resumindo: Ótimas lembranças!

Agora... Quando meu pai ouve falar em RPG ele se lembra do ocorrido com a estudante Aline Silveira Soares, que foi assassinada em Ouro Preto, no ano de 2001. Na época o crime foi atribuído a um “grupo” de jogadores de RPG que estavam hospedados na mesma república que a vítima.
Se eu parar por aqui, vocês provavelmente começarão a pensar como meu pai, e essa não é bem a proposta deste post...

O Caso de Aline foi o mais divulgado na mídia brasileira e também o mais equivocado! Hoje em dia não se fala mais sobre o assunto, só que após o “baixar da poeira” muita gente ficou sem saber que Aline provavelmente foi assassinada porque devia dinheiro a um famoso traficante local. Outro ponto que muitos desconhecem é a laudo pericial do caso, que eu passo um trecho a seguir:

“De acordo com especialistas em crimes relacionados a drogas, Aline provavelmente teria se oferecido para ter relações sexuais com o traficante para pagar a dívida, pois as roupas da garota foram encontradas "cuidadosamente dobradas e dispostas ao lado do local do crime, sem nenhum indício de violência ou de coerção". Aline tomou o cuidado de deixar suas roupas sobre uma das lápides, dobradas com a jaqueta por baixo, para que não sujassem.
Ainda segundo o laudo oficial da perícia técnica, durante a primeira facada que Aline recebeu, o corpo estava na posição acocorada, popularmente conhecida como "de quatro". Segundo especialistas em crimes de estupro, o traficante provavelmente teria tentado obrigar Aline a realizar sexo anal, que possivelmente foi rejeitado pela garota, resultando no primeiro golpe com a faca. O traficante, tendo ferido Aline seriamente, não viu alternativa a não ser terminar de matá-la. Para disfarçar, o assassino colocou o corpo de Aline em posição deitada sobre a lápide (pelas fotos da perícia e rastros de sangue, pode-se atestar que o corpo foi movido APÓS a sua morte) para tentar atrapalhar as investigações.”

Meu pai, assim como a maior parte das pessoas, simplesmente ignorou o restante da notícia e até hoje acha que o RPG é coisa do diabo!



O Caso dessa menina foi algo trágico, só que mais trágico ainda foi o destino dos jovens que foram acusados pelo crime, e tudo isso por pura ignorância e despreparo de um delegado que se deixou levar pelo seu fanatismo religioso e um vereador (Bentinho Duarte) que se aproveitou da situação para tentar alavancar a própria carreira com uma espécie de “Movimento Terrorista Psicológico Moralista” contra o RPG dali em diante.
Todos os jovens foram acusados e condenados pelo assassinato da menina. Isso destruiu a vida deles e de suas famílias, sem contar que o verdadeiro assassino se deu bem! Tudo isso porque pessoas burras, e eu repito, BURRAS, encontram-se em cargos muito aquém de suas capacidades.

Acusar o RPG de incitar a violência é tão equivocado (se não absurdo) quanto dizer que uma criança de 5 aninhos de idade, quando crescer, vai andar por aí explodindo pessoas, marretando a cabeça dos amiguinhos, eletrocutando seus rivais e tudo o mais que ele assiste nos programas infantis. Por mais bonitinhos que esses desenhos sejam, eles não teriam então uma alta carga de “violência” disfarçada?
Filmes, jogos, desenhos, livros, charges, quadrinhos... tudo isso norteia a ficção e por muitas vezes possuem um índice elevado de violência desnecessária, mas cabe a família e a sociedade o dever de cultivar a boa formação do caráter das crianças, ensinando-lhes o certo e o errado (se é que essa linha pode ser assim tão bem dividida) e cuidando para que o crescimento psíquico dos cidadãos seja mais saudável, evitando assim que falhas de caráter ou mesmo desvios psicológicos venham a ser ignorados. Colocar a culpa no primeiro bode expiatório que aparecer pela frente não é uma solução e, no fim das contas, isso não resolve nenhum problema e acaba gerando muitos outros.

To be continue...

Fontes de pesquisa e inspiração:

* Google, como sempre!

* Meus amigos: Femalkav, Jr., e todos os bons e velhos “cumpadres e cumadres” de RPG

* Blog “Cortando a película” – Muito boa a pesquisa geral, usei apenas alguns trechos sobre crimes relacionados ao RPG, mas vale a pena ver a íntegra: http://slicer.wordpress.com/category/rpg/

* Orkut – Comunidade “Jogo RPG e NÃO sou assassino”:

http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=2091648


sábado, 18 de abril de 2009

Concurso Público: Uma meta (e muitos cabelos brancos...)


“Tudo atrapalha o que eu faço, mas para os outros parece tão fácil...”


Se você prestou ou vai prestar concurso público, seja ele federal, estadual ou municipal, muito provavelmente vai se identificar com esse trecho da música “Conspiração internacional”, do Leone.

Hoje em dia o concurso público é considerado “a solução de todos os problemas”, pois bons salários e estabilidade são itens raríssimos no mercado de trabalho privado e o fantasma do desemprego anda solto, ignorando até mesmo um possível retorno dos Ghostbusters. Todavia, o que parecia ser um doce sonho muitas vezes torna-se um verdadeiro pesadelo.

Eu confesso que já prestei alguns concursos, e posso lhe assegurar que é uma tarefa árdua e cansativa, tanto física quanto psicologicamente.

Estudar, em minha humilde opinião, é sempre muito bom, só que a pressão em torno do concursando é muito grande e a frustração de um resultado não tão bom quanto o esperado costuma desencorajar grande parte dos estudantes.

Para justificar o que estou escrevendo eu vou enumerar alguns dos problemas mais comuns na vida de um “rato de concurso”:

Em primeiro lugar: A sua família, ela mesma, que normalmente pressupõe que você vai fazer a prova com mais meia dúzia de gatos pingados e que estudar tanto é exagero (na época da escola eles nunca diziam isso!). Se observarmos bem é incrível o aumento de crises existenciais dos nossos parentes nessa época, assim como o aumento dos problemas familiares que necessitam de total atenção de TODOS os membros, como por exemplo, a escolha das cores do novo aparelho de jantar.

Em segundo lugar: Os amigos, que parecem querer marcar todas as baladas, festas, luaus, casamentos, batizados, bailes de debutante, viagens, velórios e tudo mais que requer seu precioso tempo – e tempo é o que você menos terá nessas horas. Esses eventos serão sempre urgentes e normalmente os convites serão acompanhados de delicadas ameaças de ódio e desprezo eternos caso você não compareça aos mesmos.

Em terceiro lugar: Os números. SIM, eles são os grandes vilões! Os prazos sempre serão curtos demais, o número de concorrentes por vaga será sempre absurdo e a quantidade de material a ser estudado é praticamente inumana. Nem vou mencionar os custos com apostilas, livros e cursinhos porque o propósito deste artigo não é desencorajar ninguém. Se estiver procurando uma desculpa para desistir dos estudos inscreva-se na legião estrangeira e boa sorte!

Em quarto lugar: A nossa disposição - ou a falta dela. Você precisa estar disposto a organizar o seu dia, a abrir mão da sua vida social, a abrir mão dos eventos de fim de semana e até mesmo do sagrado e merecido descanso diário (em outras palavras: o seu sono). Uma de minhas professoras certa vez disse que “Dormir é um privilégio que meus alunos só conquistam DEPOIS de passar na prova. Concurso a gente estuda até passar, e não pra passar!”

Sábias palavras de uma ótima professora de português.

Em quinto lugar - mas não menos importante: A MALDITA mania de mentir pra si mesmo. MUITAS pessoas fazem isso (e eu já estive nessa lista). Você sabe que a prova será daqui a 3 meses e fica enrolando... enrolando... aí quando falta só uma semana pra bendita prova você estuda no ritmo de um usuário de drogas, totalmente alucinado e desesperado. Faz a prova sem ter certeza do próprio nome e ainda fica P da vida pelo resultado. Então começam as seções de auto-explicação e auto-piedade... Você diz que se esforçou, que perdeu meses e meses de noitadas com os amigos, que não sabe o que é dormir mais de 4 horas por dia desde que o Fernando Henrique ainda era presidente e que a concorrência é que estava desleal, que os outros deviam ser todos uns filinhos de papai, matriculados nos melhores cursinhos e daí por diante. E o pior é que você realmente acredita nisso tudo, mesmo sabendo que tudo isso não passa de um grande amontoado de desculpas, ou, no dito popular, conversa mole! Eu sei que isso acontece, eu mesma já tentei usar dessas desculpas – Graças a Deus venci esse encosto e tomei vergonha na cara.



No fim das contas o que você realmente vai precisar para ter êxito nesse tipo de empreitada é motivação, esforço e, talvez o mais importante, a organização. Sabendo planejar o seu dia, separando o devido tempo para os estudos, para as tarefas diárias e também para o seu lazer. Não se esqueça de tirar um tempo só pra você. Não deixe o stress acabar com tudo aquilo para o qual você se empenhou tanto. No mais, escolha bem a área que pretende ingressar e vá com tudo!

Dicas: Eu costumo fazer download de meus materiais pelo 4shared. Nele eu encontro desde apostilas e livros, até monografias, trabalhos comentados, vídeo aulas e alguns áudios. O endereço do site é www.4shared.com. Você só deve ficar de olho nas datas dos uploads, pois alguns devem estar defasados.

Você também pode baixar alguns dos materiais nos sites dos próprios órgãos para os quais você pretende ingressar, ex.: fazer o download do código eleitoral pelo site do TRE, ou da CLT pelo site do Ministério do Trabalho ou do TRT e assim por diante.


No mais, bons estudos e boa sorte a todos!


sexta-feira, 17 de abril de 2009

Vai uma carona aí?!



` Todos nós brasileiros assistimos esta semana reportagens sobre o ocorrido na estação ferroviária de Madureira (RJ). Todos nós cariocas sabemos que aquele não foi um caso isolado, menos, é claro, os responsáveis pela seleção e treinamento destes primorosos agentes de segurança, que souberam exercer com tanto zelo suas funções, tais como: espancamento e chicoteamento covarde dos usuários, abuso de poder, apontamento de dedo na cara dos outros, utilização de palavrear chulo entre outros.

Gostaria de deixar bem claro que realmente ocorrem muitos casos de vandalismo nos trens cariocas, assim como deve acontecer também em outras partes do país. Todo aquele que comete vandalismo deveria ser repreendido, detido e legalmente acionado para que o exemplo passe adiante, desencorajando os futuros delinqüentes. Mas não foi bem assim que aconteceu...

Por mais omissos que possamos ser, aquelas cenas chocaram muita gente, inclusive esta que vos escreve.

Será que não basta ter que pegar um trem lotado, com vagões sucateados, com atrasos constantes e sem segurança na maior parte do tempo? Já cansei de ver anúncios dizendo que a Supervia recuperou os vagões, instalou ar condicionado, aumentou a frota, reforçou a segurança e assim por diante... Realmente, melhorias foram feitas, só que na minha opinião foram reformas de caráter emergencial, e não um upgrade em prol do bem estar dos usuários.

Ok... Ok... Sei que se hoje em dia a coisa está feia, também sei que já foi bem pior, bastando lembrar dos “surfistas” ferroviários e dos acidentes causados pelo obsoleto – e graças a Deus substituído – sistema de controle da malha ferroviária. O problema real é o descaso para com o transporte público em geral. Não é privilégio dos trens e qualquer pessoa que ande de ônibus pode confirmar o que estou dizendo. No Rio de Janeiro o único meio de transporte que escapa é o metrô, e mesmo assim, nos horários de pico, ele se torna insuportavelmente cheio.



Creio que já passou da hora de o transporte público receber pouco mais de atenção para que nós, usuários, possamos ter um pouco mais de respeito e para que matérias como esta que nos chocou tornem-se cada vez mais raras.

quinta-feira, 16 de abril de 2009

O incrível mundo dos programas de fofocas – Parte I


Segue aqui algumas das matérias que mudarão a sua vida daqui por diante!

Patrícia Araújo – Ele é um mulherão!!


Pulando de um programa para outro, já que a TV aberta não é exatamente a minha praia (só ligo a TV para ver os jornais e algumas séries), peguei uma entrevista pelo meio com uma mulherona. Achei logo que fosse mais uma reportagem sobre alguma super-modelo, dessas que sempre estão nas pautas dos programas de fofocas – que por acaso eu ODEIO! (Os programas, não as modelos).

Quando fui mudar de canal fiquei boquiaberta com a seguinte revelação: Ela, na realidade, é ELE! Isso mesmo! E nem vem com esse papo de que você já suspeitava, porque eu não vou acreditar! Acho que nunca havia visto um travesti TÃO mulher na minha vida, e olha que eu estou passando uma temporada em Copacabana, bem perto de um dos pontos mais “povoados” pelas mocinhas. Continuei assistindo a entrevista e descobri que ELE, como toda mulher bonita (e que quer dinheiro e fama) que se preze, a está namorando um jogador de futebol – PASMEM – do São Paulo!


Inrisetes – A vida musical das tietes de Inri Cristo



Recentemente algumas das seguidoras de Inri Cristo começaram a fazer vídeos musicais em honra de seu Grã Mestre. No repertório você pode ver e ouvir adaptações de hits famosos, como “Hotel Califórnia”, dos Eagles, “Rehab”, da Amy Winehouse (O_o* ela não é o capeta?!), “Toxic”, da Brititney Spears - e pasmem novamente – “Sorry” da Madonna. Ainda acho que a melhor ficou para Eye of the Tiger!

Segundo as próprias Inrisetes, tudo começou pela ânsia de animar o Sr. Messias, que andava meio cabisbaixo... chateado com o rumo da humanidade (Será que ele tem assistido muita TV Senado!? Ou será pela crise econômica mundial? Será que os dízimos diminuíram?)


Você pode conferir alguns dos divinos clipes musicais nos seguintes links:


http://www.youtube.com/watch?v=Jcumwc7Osgg – Eye of the Tiger

http://www.youtube.com/watch?v=LUubUoCMHMk&feature=related – Hotel California

http://www.youtube.com/watch?v=XS0ktNjpqpY&feature=related – Toxic

http://www.youtube.com/watch?v=AEO1FJLqKCs&feature=related - Sorry



Aproveite!!!! Inri Cristo recomenda!


Sobrinha de Rita Cadilac aumenta o tamanho do bumbum – de 102 cm para 122 cm.


Cléo Cadillac disse em entrevista inédita que quer ser a dona da maior poupança do Brasil... Melhor o Collor não saber disso... Vai que ele tem uma recaída...




Não sei vocês, mas como eu pude viver até hoje sem esse tipo de informação bombástica!? To boba!


Fonte: Programa Bom Dia – Rede TV

(Um programa de fofoca por vez. É muita emoção p/ mim...)

quarta-feira, 15 de abril de 2009

Veganismo - Vegetarianismo - Onivorismo



Recentemente, numa dessas fuçadas que eu dou pelas comunidades do orkut, achei alguns textos interessantes, mas um deles me chamou muito a atenção: Ex-vegetariano que virou açougueiro defende a carne de qualidade e a moderação.”

Quando li o título eu fiquei meio assustada... Porém, depois de ler o artigo, concordei com cara! Na realidade, sempre tive aquele pensamento... Descobri que não sou a única.

Pois bem, vou resumir um pouco e explicar onde eu quero chegar:

É horrível a maneira como tratamos os animais que nos alimentam. Ponto!

É desumano, sujo, violento, desprezível e, na maioria dos casos, chocante para a maior parte da população – ou vai me dizer que quando você pega a sua bandeja de filé de peito de frango no supermercado você realmente reflete sobre a procedência do abatedouro, ou da maneira como o animal foi criado, se ele teve alguma dignidade durante a curta vida dele ou mesmo se ele morreu de forma indolor?! Duvido... Ninguém deve pensar nisso, só os vegetarianos! Fora eles você deve estar mas preocupada(o) em saber a validade do “produto” e se ele está fresquinho, o que é completamente normal também, ninguém gosta de carne estragada!

Ok – entendemos tudo até agora, não é? Mas você pergunta, e daí?! Eu explico:

Nosso querido ex-vegetariano em questão – Sr. Tom Mylan – assim como eu, concorda que a carne das prateleiras dos grandes supermercados já foi um ser vivo (espero que você também concorde com isso, afinal, você realmente acha que a picanha nasceu picanha? Seria no mínimo um bicho BEM estranho né...). Isso já me fez, certa vez, ficar mais de 4 anos sem saborear um bifinho que fosse... Também foi a opção de nosso caro amigo por muito tempo, só que, assim como os vegetarianos descobriram os vegetais orgânico, alguns de nós, pobres onívoros sem coração, descobrimos as fazendas com certificado de manuseio humanitário. Isso mesmo! O amontoado de pedaços de carne empilhado sobre a mesa do curso de cortes que ele leciona em NY já foi um animalzinho feliz! Teve uma boa vida, foi alimentado de maneira decente – e não com hormônios de crescimento – e, espero eu, morreu da forma mais indolor possível.

Agora, antes que algum fanático da PETA me julgue, eu acho SIM que eu tenho direito de comer carne! Não entenda de forma errada – os animais não nasceram única e exclusivamente para servir de alimento – longe disso! E se você mandar eu comer o meu gato eu vou te mandar fazer algo bem pior com a sua pessoa! Eu só acho que o curso natural das coisas é sempre o melhor caminho! Eu não nasci herbívora! Não sou ruminante! Se eu pudesse viver de pasto, viveria! Não ia ser muito diversificado, mas não seria tão caro quanto o peso do contra filé! A questão aqui é a seguinte: Pessoas são onívoras! Leões são carnívoros! Gatos são peixívoros! (sim, foi uma piada ruim) E assim por diante!

Se até mesmo Jesus comia o peixe dele por que raio eu não posso?

Se um animal vive a vida dele de maneira digna e eu resolvo abatê-lo para me alimentar, aproveitando o máximo que eu puder daquele animal, que mal há nisso?! Vocês sabiam que muitos animais já comeram muitas pessoas, e só não comem mais porque aprendemos a respeitar o espaço deles? Vai lá entregar um folheto vegetariano a um leão, vai... fala pra ele que é sacanagem o que ele faz com os pobres dos bisões... Espero que você tenha um bom seguro de vida.



Eu não tenho nada contra vegetarianos e veganos – até gostaria de ser vegetariana (ovo-lacta), por questões de saúde e porque, infelizmente, não é todo dia que você encontra por aí uma fazenda com certificado de manuseio humanitário. E olha que eu nem mencionei um ponto que eu também acho muito importante: os pastos de criação de gado são uma das maiores causas de desmatamento das florestas, assim como as grandes plantações de cereais.

Já parou pra pensar que o seu feijão, até chegar ao seu prato, pode ter sido o responsável pelo desmatamento de uma grande área de alguma floresta? Parou pra pensar que ele pode ser o responsável pela morte de vários animais que ali viviam e que isso, normalmente, gera grande desequilíbrio ambiental? Não é preciso ir muito longe para ver encostas tomadas por plantações, mesmo que pequenas.

É só ligar a TV na sexta-feira e ver o Globo Repórter que você logo ouve: “A cada dia que passa mais e mais equitares da mata atlântica são desmatados para a expansão de pastos e plantações ilegais – muitas dessas não respeitam o ciclo natural da terra e futuramente estão fadadas a tornarem-se áreas desertificadas pela ação irresponsável do homem.”

Então o que fazer? Morrer de fome? Pegar umas dicas de jejum com o Dalai Lama?


Acho que está na hora das pessoas se conscientizarem de que não se resolve um problema criando outro. Muito do que se produz nem chega ao consumidor final, e quando chega ainda assim tem grande chance de virar lixo.

Não entendo como tanta comida é jogada fora enquanto tanta gente passa fome! E não é da África que eu estou falando não! Estou me referindo daqui mesmo, nossa Cidade Maravilhosa! Quantas pessoas catam alimentos nas cestas de lixo espalhadas pelas ruas? E ao mesmo tempo, toneladas de alimento viram lixo! Inaceitável isso!

Somos o que comemos, mas, infelizmente, enquanto a visão da população for tão minimalista, independente do fator vegeratiano/onívoro, você estará comendo algo que te faz mal – se não for por dentro, será por fora.

Pense nisso!


Fontes de inspiração:


Comunidade do orkut Meavels Foundation - Pró Carne

http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=47659856


Alfaces são nossas amigas, não comida!

http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=14068147


Revista Época:

http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,ERT66052-15257-66052-3934,00.html


DESDE JÁ DEIXO BEM CLARO QUE SOU CONTRA TODO E QUALQUER TIPO DE MAUS TRATOS AOS ANIMAIS – LEIA O TEXTO ANTES DE ME RECRIMINAR!


Não sou contra veganos e vegetarianos – acho importante a posição deles e mais ainda a sua luta pelo bem estar dos outros seres vivos com os quais dividimos o nosso planeta – apenas não concordo com alguns pontos de vista já citados no texto. Caso você venha a se sentir ofendido você tem todo o direito de expressar-se, é seu direito de resposta, mas isso não faz com que eu perca o meu direito de expressão também!


Não sou portadora da verdade, mas estou em busca dela! Opine, isso é importante!



Aqueles que me acompanham na jornada...

Wikipédia sobre a Lady Vinna (WInna)

A lei divina é eterna, imutável, perfeita, igual para todos, inscrita na consciência dos homens e revelada em todos os tempos (de acordo com a capacidade e compreensão dos homens).

Winna: "- Com tantos elogios eu fico até sem graça!"

"Os animais dividem conosco o privilégio de terem uma alma". - Pitágoras

"Os animais dividem conosco o privilégio de terem uma alma". - Pitágoras