sexta-feira, 22 de maio de 2009

Barbaridades serão sempre barbaridades...



Bem, não sei exatamente por onde começar...


Algumas pessoas próximas a mim sabem que eu gosto de crianças, mas a maternidade não é meu sonho. Nunca foi.

Não sou nenhuma desalmada, não entenda errado, mas acho que por um filho no mundo sem condições psicológicas e financeiras é o tipo de aventura inesperada e irresponsável pela qual não pretendo passar. E também não estou falando mal das “mães por acidente”, pois muitas destas tornam-se mães adoráveis e inesquecíveis, beirando a perfeição.

O que, de fato, me chamou a atenção a ponto de escrever tantas explicações, foi a felicidade que eu tenho passado em minha vida depois que meu sobrinho nasceu, e, conseqüentemente, a intolerância que isso vem gerando em mim quanto a certos assuntos e atitudes de algumas “pessoas”, se é que posso chamá-las de pessoas...


A notícia desta semana que literalmente acabou comigo foi a seguinte:


“Jovem Mãe de 18 é presa por abandonar um bebê de oito meses numa lixeira”.


Vamos a alguns pontos que eu PRECISO comentar:


1°: Eu compreendo uma menina de 18 anos que faz um aborto. Na realidade, eu compreendo um aborto, não que eu seja a favor ou contra, meu posicionamento não é a questão primordial deste post, mas, entre por uma criança no mundo para sofrer com maus tratos, falta de atenção, falta de carinho, falta de comida, falta de educação, falta de princípios... Ou seja, falta de toda uma estrutura necessária para o que nós podemos chamar de “básico para se viver”, o aborto me parece um destino bem melhor... (os católicos e afins que me perdoem).


2°: Eu compreendo uma mãe desesperada que venha a entregar seu filho para outra família, ou mesmo que venha a abandoná-lo em uma igreja, orfanato, hospital, maternidade ou qualquer outro lugar onde ela tenha CERTEZA de que esta criança não correrá nenhum risco a sua vida e que será rapidamente encontrada e tratada, ou pelo menos encaminhada a ao decido órgão ou entidade responsável por esses tipo de incidente. Quando esta mãe não tem coragem ou condições de optar por um aborto e abandona um filho esperando que alguém cuide dele por ela, visto que ela quer o melhor para a criança e, em muitas das vezes, não possui as condições necessárias nem mesmo para o próprio sustento, esta mãe pode até ser chamada de muitas coisas, mas não de desumana. Não foi o egoísmo que a moveu essa mãe e sim o desespero e o despreparo. Isso é compreensível.


Agora, uma coisa que eu NÃO consegui compreender na história desta mãe que foi o infeliz destaque desta semana, foram os “Por quês”:


Por que ela não deixou o filho com a mãe, visto que a avó materna da criança já havia concordado em criá-lo, sabendo que a filha não tinha condições para tal, e muito menos o maldito do juízo necessário...?


Por que ela abandonou essa criança numa caçamba de ENTULHO DE OBRAS, que sabemos muito bem não é nem um pouco seguro para pessoa alguma, muito menos para um bebê de oito meses...?


E, finalmente, POR QUE ela fez isso PELA SEGUNDA VEZ??

Pelo que pude ler, ela já havia tentado (ou conseguido, não sei explicar) abandonar a criança, que graças a Deus foi encontrada e amparada, novamente, pela avó materna e pelo seu marido, que, diga-se de passagem, já estavam com um processo em andamento para a tomada da guarda desta criança.


Não sei explicar se a minha revolta é devida ao apego que tenho hoje em dia com meu sobrinho, pois eu o acompanho desde o dia em que minha irmã descobriu que estava grávida até hoje. Porém, se eu que sou tia desenvolvi tamanho amor pelo meu sobrinho, como pode esta menina, que carregou aquela criança pelos meses de sua gestação, que o viu assim que ele chegou ao mundo, que o embalou, que viu seus olhos se abrirem pelas primeiras vezes, viu seus primeiros sorrisos e que pode observar de perto a fragilidade estúpida que é um recém-nascido (como seres dominantes deste mundo, é incrível a nossa fragilidade, e eu considero-a estúpida quando na infância, se comparada a outros “filhotes” de outras espécies), como é que mesmo com todos esses fatores ESTA INFELIZ teve tanta frieza, tanta falta de amor...? COMO??


O mais triste é que esse tipo de notícia vem se repetindo todos os dias, em vário lugares, em todo esse nosso mundinho. Este, pelo menos, pode ser agraciado por um “final feliz”, e ainda bem que existem anjos vagando pelo mundo... Mas quantas foram as crianças que não puderam contar com a mesma sorte? Quantas só tiveram o trabalho de vir ao mundo para ter poucos minutos de sofrimento e, assim, voltarem para o lado do “papai do céu”!?


Eu sempre achei que deveria haver uma lei cósmica proibindo crianças de adoecerem ou mesmo de falecerem, e sei que muitos pais concordam comigo. Acho que não há fato mais triste que a morte de uma criança. Não é justo e tão pouco aceitável ou passível de esquecimento. É algo que nos faz questionar a fé, o amor, a existência e todos os outros valores que julgamos importantes.

Pior ainda é saber que, algumas das vezes, quem mata ou tenta matar, era quem deveria morrer no intuído de proteger.



Fontes: O Dia Online, Extra Online, Portal G1.

sábado, 16 de maio de 2009

S E X O sem PUTARIA (só um pouquinho)


Sim... Ô palavrinha para chamar a atenção de uns e remeter desprezo em outros.

No fim das contas, se eu estou aqui escrevendo e você está aí lendo... Alguém tem culpa no cartório! A não ser que você seja de proveta... Não tenho nada contra, mas fico feliz em saber que meus pais se divertiram!! Sinceramente, não consigo entender o “porquê” de tantos tabus... Se você gosta, gosta! Se não gosta, não gosta! Simples assim! É mesmo necessário criticar o vizinho?!

O Sexo é tão natural quanto comer, ouvir música, dançar, passear... é uma atividade social (bem, normalmente é...) que, tirando quem escolheu o celibato, um dia vai acontecer com todo mundo! O grande problema do sexo hoje em dia, ao meu ver, é justamente a falta de informação e de diálogo!

O que deveria ser prazeroso, agora virou modinha.
Se era pra ser gostoso, agora virou obrigação.
Piorando um pouquinho a coisa, o que era pra ser responsável, virou uma ZONA!

Meus lindinhos... É claro que sexo é bom! Mas tem que por a mão na consciência! Já reparou que o número de adolescentes grávidas aumenta exponencialmente a cada ano? Os casos de doenças sexualmente transmissíveis também têm aumentado muito!

Não estou a fim de cortar o barato de ninguém, mas vou dar um exemplo bem comum: Estava eu entediada, ninguém no MSN, nada para fazer e o sono que é bom, nada! Lembrei logo das salas de bate-papo! Minha salvação nos dias de muito tédio! Então, curiosa como sou, e sacana também, não vou negar, entrei numa das salas de sexo.

Me assustei!
Devo estar ficando velha mesmo!

Sabe, aquela coisa do exibicionismo por webcam não me assusta. É fetiche e eu acho completamente normal e aceitável... Mas houve uma coisa que me preocupou: o pessoal marca de se encontrar no motel para... Digamos... Bater um papo mais físico... Se é que você me entende...

Espero que você entenda que eu não estou querendo parecer antiquada... Mas ir para um motel com um cara (ou mina, ou seja lá o que for) que eu nunca vi na vida, ou quando vi, foi uma vez num “orkontro” ou coisa do tipo, mas que eu não tenho nenhuma intimidade... ISSO NÃO!!!

Gente! Não achei a minha “menina” no lixo! E os garotos deveriam entender que eles não acharam os seus “ditocujos” no lixo também não!

Olha... Eu sei que a carne é fraca! Todo mundo já fez uma loucura ou outra (Ou muuuuitas! A vida é curta não é mesmo!), e muita gente ainda faz. Eu sei que parece legal! Mas, pensa comigo...: Eu não sei NADA daquela pessoa, só sei o que ela me deixou saber – e que pode muito bem ser fake!
Alguém já parou pra pensar que a camisinha não impede a transmissão de algumas DST’s? Vai que ele (ou ela ou seja lá o que for) é algum louco-maníaco-homicida-sociopata desses que habitam os mais terríveis filmes de terror modernos?!

Olha... Sexo É MUITO BOM SIM! Faz bem pra pele, melhora o humor, gasta calorias, clareia a mente... Porém, ou infelizmente para alguns, precisa SIM de algumas medidas cautelares! Não que você não possa encontrar com uma pessoa numa noitada e acabar num motel de beira de estrada. Só que tal atitude É UM RISCO! Você precisa ter isso em mente.


É muito triste ver alguns dos casos de violência que se vêem hoje em dia... E como diria minha mãe: “é melhor não dar mole pra Kojack!”
As pessoas pensam logo que a gravidez é o pior dos males e isto está longe de ser a verdade! Acho muito pior que, por conta de UMA NOITE, eu ponha em risco TODA A MINHA VIDA. Isso sim é angustiante, não acha?

O sexo pode ser excitante, romântico, sádico, masoquista, intenso, idealizado, sutil, inesperado, tântrico, voyerista, personalizado, estranho, gritante, escondido, entre quatro paredes, sem nenhuma parede, na água, no banheiro do avião, dentro do carro, num motel, em casa, atrás da árvore, caindo de paraquedas...

Ele pode ser isso tudo e muito mais, só não pode ser PERIGOSO! É isso que as pessoas devem entender!


No mais, aproveite bem o sexo! Se for de maneira responsável, ele é uma grande fonte de... Prazer! Crie suas fantasias! Só não seja reprimido! E por favor, se resolver “dar umazinha” ao ar livre, que NÃO SEJA EM ÁREAS URBANAS! Por mais que haja voyeristas no mundo, você pode ser preso mesmo assim!
Vale tudo, desde que sua integridade física e psicológica saiam intactas, ou, na melhor das hipóteses, com uns tapinhas ou arranhões!


O recado está dado! Use preservativos e caia na gandaia!

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Post Minuto - Respeitável público!


Olá? Tudo bom?


Bem, este é um post minuto – uma rapidinha só entre nós, para provar a mim mesma que eu CONSIGO SIM fazer um post pequenininho.


Sempre odiei circos. Odeio palhaços e não suporto ver aqueles pobres animaizinhos sendo maltratados, mas, desde que o Cirque du Soleil entrou na minha vida, passei a amá-lo.

Cada espetáculo parece com uma pequena janela que dá vista para um outro mundo, cheio de graça, harmonia e ilusão! Simplesmente fascinante, vocês não acham?

Agora... Cirque du Soleil + Deborah Colker = nada menos do que “Um alimento para todos os sentidos, humanos ou não!”

Espero poder apreciar esse espetáculo de perto, e, se for o caso, conto para todos vocês como foi, por enquanto, vamos dar uma “fuxicada” neste vídeo que achei no Youtubias!




Uma boa quarta-feira para todos vocês!

Correria... Correria... A Maldita Burocracia!



Meus queridos leitores (sim, porque eu acredito que vocês existam!), sei que todo mundo passa por situações burocráticas na vida, isso é fato, mas, assim como eu, acredito que essas mesmas pessoas que compartilham esse destino comum devem pensar que a palavra burocracia deriva, ou pelo menos se origina, da junção das expressões: pé no saco, sado-masoquismo, seu-filho-duma-p... E algumas outras bem familiares.


Graças a superlotação deste vagão planetário que nós chamamos de terra, alguns simples processos não podem mais ser tão simples assim. Já estagiei em algumas repartições públicas e, sem algumas medidas de controle, a coisa sería bem pior do que já é.

Agora, existem certos órgãos, juntamente com seus digníssimos representantes, que têm prazer em tornar a vida do cidadão uma romaria incessante e desnecessária.

Como costumo trabalhar nas eleições, acabei conhecendo alguns funcionários do TRE e, por sua vez, acabei conhecendo um pouco da rotina de trabalho deles. Acredite, não é fácil lidar com muitas das situações que eles vivem diariamente.


Ok... tanto a iniciativa privada quanto a pública têm seus funcionários emprestáveis e sem a menor vocação para lidar com pessoas, mas onde eu pude observar, não era esse o caso.


A culpa, meus meninos e meninas, é da maldita burocracia!


Não é por puro sadismo que o cara te pede o RG, CPF, PIS, Título de eleitor, certidão de casamento / nascimento, comprovante de residência (seu e de todos os seus familiares), carteira de vacinação do seu primeiro animal de estimação, escritura da casa, escritura da casa dos vizinhos, fotos da vizinha pelada, recibo de pagamento do absorvente íntimo, cartão cidadão, comprovante de que participou das “Diretas Já”, certidão de óbito da Dercy Gonçalves e assim por diante... e tudo isso deve estar junto das 15 cópias de autenticadas em 15 Cartórios diferentes, e que você terá que percorrer todo esse trajeto A PÉ, de preferência descalço e rezando pra que não falte nada no final.


Mas vai faltar... Sempre falta.


Então, depois de percorrer todo o caminho se Santiago, descobrindo até mesmo que você tem um primo distante que mora na Polônia e que inventou a bateria a basa de baba de sapo, você volta ao tal órgão. Claro que vai enfrentar aqueles meros 14 km de filas. Com sorte você não vai precisar nem de uma barraca de camping. Então, finalmente você percebe que Deus realmente existe porque chegou sua vez de ser atendido! Despeja toda aquela papelada às lágrimas no guichê de atendimento, com tamanha esperança emanando de cada um dos seus poros... Mas o cruel atendente lhe faz uma pergunta que entra como um punhal torcido nas suas entranhas:


“Meu bem, onde está a via rosa do formulário 0666KPTa-XXX de pré-atendimento que é fornecida pelo Tabelião do 9° circulo infernal?!?!”


Eis que uma bigorna Acme cai sobre sua cabeça. As pernas tremem, você não sabe o que é dormir desde que a maratona começou, todos os seus poucos cochilos são assombrados por monstros que saem da sua pastinha empoeirada de documentos, você é perseguido pos CPF’s fantasmas, Sua CPTS tornou-se um zumbi devorador de FGTS’s e sua certidão de nascimento insiste em dizer que você é filho(a) do José Serra.

Medonho...


Se você não tem um derrame pós-traumático, você cogita assassinar o atendente. Isso quando cogita! Algumas pessoas não possuem “travas de segurança” nessas horas.


Bem... Entendo esse sofrimento. Depois de três meses tentando receber o FGTS e, quando finalmente parece que as coisas vão dar certo, descubro que houve “mais um pequeno engano”... Eu também sinto vontade de brincar de residente evil na Caixa Econômica...

Só que isso não resolve.


É claro que, no meu caso e no de milhões de outros guerreiros (de agora em diante me considero uma Guerreira! Acho até que Valhala me espera!), a incompetência, a falta de atenção, e principalmente, a falta de vergonha na cara de muitos desses funcionários, foi a real fonte do nosso problema.Eis que surge um dilema:


Esganar ou não esganar?


Como eu vou saber que aquele infeliz que está me atendendo é o culpado? Como vou saber se ele não é obrigado a fazer aquelas exigências, já que ele é subordinado a todo um processo anterior que é contra a própria vontade dele? O vilão nem sempre mostra a cara...

No caso dos cartórios por onde passei, muitas vezes a culpa era dos próprios eleitores. Quando o atendente explicava o que era necessário, ao invés de ouvir e depois questionar, a cada novo documento que era exigido o infeliz fazia um barraco! O funcionário não conseguia passar a informação de maneira adequada e o eleitor acabava esquecendo alguma coisa, isso sem deixar de mencionar os que simplesmente se negavam a trazer os documento – e eu me refiro aos básicos sabe, como RG e CPF – e EXIGIAM atendimento, porque ele é amigo do deputado Fulano de Tal, do prefeito Beltrano, do vereador Cicrano e lhe foi GARANTIDO que, no caso DELE, isso não era necessário...


Resultado: Este ser humano perdeu seu tempo e atrasou o trabalho do atendente, assim como atrapalhou a vida de todos os outros eleitores que estavam na fila.


É pessoal, é uma guerra às cegas. De um lado, burocracia e alguns incompetentes que não serviriam nem mesmo de peso para papel. Do outro, pessoas tinhosas e teimosas que, apesar de toda a informação que circula pelo mundo, se negam a aceitar que a Terra não é achatada e que acabam sendo um estorvo para todos nós.


Não consigo encontrar uma solução... E você?

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Que mundo louco é este em que estamos vivendo...



De todas as espécies que vagam por esta terra, somos os únicos que matas os seus iguais por ganância e até mesmo por prazer.
Não nos matamos pra nos defender quando, durante um assalto onde NINGUÉM reagiu, um dos assaltantes atira a queima roupa numa atendente que não representava perigo algum a ele ou aos seus comparsas.
Não foi por um instinto de auto-preservação que aquele homem que horrorizava os passageiros daquele ônibus executou o pobre cobrador, que NADA FEZ para impedi-lo ou deixá-lo em situação de risco.

Sabe o porquê de eu raramente ligar a minha TV? Estou cansada de ver cenas como esta. Não quero ser hipócrita, mas já tomei remédios demais pra minha pouca idade. Não significa que eu não me importe ou que não fique revoltada, transtornada, indignada, enfurecida, com vontade de ignorar todas as leis dos direitos humanos e pegar uma p-50, digna do Rambo, e simplesmente colocar todos esses malditos assassinos em fileira e fazer com que eles participem de uma reunião AO VIVO com o capeta!

Mas isso não resolveria nada e me transformaria na mesmíssima escória que corrói a nossa já tão enfraquecida sociedade.


Eu até entendo quando algum representante dos “direitos humanos” vem a público e discursa que, apesar destes infelizes terem cometido atos grotescos que, na minha opinião, não podem simplesmente ser perdoados, eles mereçam uma segunda chance.

Porém, esse entendimento desaparece assim que me vêm à cabeça aquelas cenas bárbaras. Tanto a balconista quanto aquele cobrador NÃO receberão a dádiva de uma segunda chance!!
OBS.: se você acredita em reencarnação o ponto de vista é diferente, mas continua sendo uma fatalidade, mesmo que karmica.

Eu compreendo que grande parcela do problema vem da falta de toda uma estrutura anterior ao fato, você também deve saber disso e já deve ter ouvido todo esse discurso de descaso social e político. É claro que isso interfere, mas não podemos esquecer que ainda existe o maldito do livre arbítrio de cada um!!!

Eu consigo entender que uma pessoa venha a cometer certos tipos de crimes devido ao desespero ou ao glamour que o dinheiro exerce sobre o nosso mundinho, mas nunca vou assimilar que para algumas pessoas, a vida do próximo valha tão pouco, quando não, nada!
Meu Deus, será que esses bandidos não param um momento sequer pra refletir sobre as vidas que eles tiram de maneira tão sem... Importância - estava a uns 3 minutos tentando lembrar uma palavra adequada pra tamanha insignificância...

O valor da vida simplesmente tornou-se medíocre.


Eu simplesmente acho que o valor da vida de quem não se importa com a vida alheia deveria ter o mesmo peso. Se alguém mata outro alguém sem se importar com o fato de ter interrompido violentamente uma vida cheia de expectativas, sonhos, desejos... E também todas as vidas próxima aquela que, na melhor das hipóteses, ficarão com uma profunda marca de tristeza e impotência pelo resto de suas vidas, essa pessoa que cometeu tal atrocidade merece seu “olho por olho, dente por dente”.


Não sou ninguém para julgar, mas sei que muitos compartilham desta mesma opinião.

Acredito que penas mais severas, como a pena perpétua ou mesmo a pena de morte não deviam ser um alternativa tão atrativa e, principalmente, presente no pensamento de tantos de nós brasileiros, mas o que pensar quando a criminalidade bate a porta vestida de juiz, júri e carrasco?

domingo, 3 de maio de 2009

Se ainda houver empenho, jeito ainda tem!


Certas notícias que são “indiferentes” para muitos, no meu caso, geram grande esperança.

Esperança no tão malfadado potencial humano. Esperança de que a salvação do planeta esteja acontecendo de verdade, e não só nos comerciais de margarina ou de grandes bancos. Algumas pessoas se encheram de tanto esperar a humanidade se tocar que “Ou resolve, ou resolve!”.

Não é a primeira vez que universitários pesquisam novos meios de sustentabilidade, e espero que esta não seja a última. Esses estudantes/pesquisadores são o que eu realmente chamo de FUTURO.

O único fator que realmente acredito nos separar dos outros animais que conosco convivem (leia-se: sofrem) é o fato de o nosso cérebro possuir mais massa e mais ligações neuronais – essas verdadeiras responsáveis pelas grandes criações humanas.

Porém, de que adianta todo esse potencial se o dinheiro é bem mais importante que todo o resto?! Ah esse maldito pedaço de papel que controla as nossas vidas!

Sim, porque, por mais socialista que sejamos, caros companheiros, de merda nenhuma vale nosso eufemismo! Cuba já se foi! Nenhuma potência que se preze está a fim de tornar-se mártir dessa batalha! Parece até que o socialismo está para o capitalismo assim como o diabo está para o Papa!


Obs.: Deus não se encontra neste debate – Nós que inventamos, então é melhor resolvermos nós mesmos! Deixe Deus com seus afazeres, que são muitos...


Ok... Vou voltar ao debate ecológico e deixando o posicionamento político-social para outro post (até porque não sou suficientemente inteligente para opinar sobre socialismo e nem financeiramente estável para falar de capitalismo – resta-me, no máximo, a possibilidade de um silogismo sobre tais assuntos, e mesmo assim, serei MUITO criticada...).


A notícia que li e ouvi hoje foi a seguinte: “Pesquisadores da Universidade Federal de Uberlândia e de Caixas do Sul desenvolveram um plástico biodegradável feito à base de bagaço de cana e caroço de manga”.

Tem como reprimir a explosão de felicidade que é saber do empenho alheio em cuidar de nosso TÃO maltratado planeta? Impossível!


Agora você acredita que UMA pessoa pode realmente fazer a diferença?!


Infeliz idéia que os idiotas disseminaram pelo mundo de que “Uma andorinha só não faz verão!”.

“Ah! Se só eu diminuir a quantidade de carne que eu como, de que vai resolver!? E vê só se eu vou ser o único otário a comprar esses tais sacos de pano só pra carregar as compras!? Os do mercado são de graça! E eles não são “puluentes”! Aqui em casa a gente usa tudo! Coloco na lixeirinha da cozinha, na do banheiro! E esse papo de economizar água? Onde já se viu dizer que a água vai acabar!! Com esse monte de mar que a gente tem!! Hunf... eles querem é nos roubar o pouco dinheiro e conforto que eu ralo pra ter!”

Fala a verdade: não dá vontade de usar como boneco de testes automotivos?

Sabe aquela velha romaria de:


Não se ensaboe com o chuveiro ligado

Separe o seu lixo

Evite usar as sacolas plásticas do mercado

Mantenha o carro regulado

Apague as luzes quando sair

Dê preferência a produtos de empresas que se preocupam com o meio ambiente e que respeitem os animais.(e isso também vale para as dondocas que não se importam se seu xampu ou maquiagem predileta matou um monte de animais para que seu pó compacto chegasse a seu nécessaire!).


Tudo isso é importante sim!!!


Eu sei que não é fácil! Ninguém disse que sería! Ou você acha que depois de tantos séculos de inadimplência com nosso mundinho a coisa toda se resolveria em apenas 1 mês? Se pensou, por favor, pode voltar a assistir o domingão do Faustão...

Se esse não for seu caso, tente, mesmo que aos poucos, mudar alguma coisa! Eu mesma descobri outro dia que uma certa marca de produtos para cabelos que eu adoro faz parte de uma infeliz lista de empresas que ainda testam seus produtos em animais. Não estamos falando aqui de testes para a criação de medicamentos que poderiam salvar muitas vidas, estamos falando dos maus-tratos causados a essas “cobaias” por pura VAIDADE!

Isso eu não aceito! Boicote neles!

Esse meu ato, isolado, não significa nada para aquela empresa, mas o meu ato aqui, o ato de outra pessoa lá e outra acolá vão sim fazer diferença!

Não quero que a tal empresa feche! Não quero deixar aqueles funcionários desempregados! Só quero que, assim como tantas outras empresas que NÃO fazem testes em animais, elas entendam que isso não é mais necessário!

Como diria o Walter: “We have the technology!”


Quando uma pessoa muda seu hábitos, aquilo gera uma onda no inconsciente coletivo (ou sería consciente?), assim como uma única gota d’água reverbera um imenso lago.


Pense nisso e durma tranqüilo, se você puder!


Fonte (criativa) da notícia:
http://g1.globo.com/jornalhoje/0,,MUL1106519-16022,00-CAROCO+DE+MANGA+E+BAGACO+DA+LARANJA+VIRAM+PLASTICO+BIODEGRADAVEL.html

sexta-feira, 1 de maio de 2009

Homenagem ao trabalhador anônimo


Quem nunca trabalhou,

porque não precisa,

não sabe o que é o gosto da conquista.


Quem sempre trabalhou,

pela necessidade,

não sabe o que é descansar de verdade.

Quem debaixo do Sol e da chuva,

semeou cada uma de suas rugas.


Quem de casa em casa, de chão em chão,

cuidou do que era dos outros, mas do que era seu, não.


Quem de dia ou de noite, na correria da cidade,

cuida das mazelas com boa vontade.

Quem com sono e com fome,

depois de tanto suor dado,

pelo desespero da perda se consome.

Quem sozinho ou acompanhado,

devendo e mal-julgado,

bate de porta em porta em busca do que lhe foi tirado.

Aquele que da rua tira o sustento,

com esforço e intento,

e abusa de criatividade e engenho.

Todo aquele que labuta

Que vive a cada novo dia mais um dia de luta

Que não para pra seguir o ritmo do mundo

Pois a guerra nunca acaba!

Trabalha pra vencer o tédio

Trabalha pra vencer a fome

Trabalha pra esquecer-se dos problemas

Trabalha até que o corpo se consome.

Que corta a cana

Que assina o ordenado

Que arruma a cama

E levanta mesmo sem ter acordado

Quem meche o cimento

Quem varre o chão

Quem digita os ofícios

Quem fica de prontidão

O que cuida dos filhos

O que cuida dos doentes

Quem leva os passageiros

E até quem multa a gente!

O que trabalha sorrindo

O que já trabalhou há muito tempo

O que trabalha pela primeira vez

E sorri a vida pela fonte do sustento!

A vida é trabalho

As férias são a redenção!

O descanso merecido

Seja cristão, ateu ou pagão

E toda essa beleza não se esconde no valor do trabalho de um homem

Ela se mostra verdadeiramente é no valor do homem que trabalha!



( Winna A.)

O bom e VELHO cinema Trash!



Estava eu pensando num bom texto para um post de homenagem ao dia do trabalhador, sozinha aqui no AP, e como de costume, liguei a TV para não ficar naquele silêncio constrangedor.
Em seguida prestei um pouco de atenção no programa do Jô e voltei-me ao Orkut.
Até aí tudo normal. Em momento algum o que disse até aqui valeria um post! Nem um comentário sequer! Se você quisesse saber da minha vida ou você pesquisaria no Google ou iria à macumba!! Aconselho usar o Google, é mais confiável...
Então!! Eis que o Intercine começa e eu reconheço aquela trilha sonora ruim... Levanto uma orelha e percebo que trata-se de algum filme velho.
Esperei ansiosa por um filme “interessante”, mas fiquei estarrecida quando o locutor disse o nome do filme, com aquela voz arrastada de quem ganha mui mal:

“A Hooooora dooo Espannnntooooo”.

Surtei!! Parei tudo e fui assistir este “crássico” do cinema trash – na minha opinião o melhor(pior) de todos ainda é Evil Dead, ou, como foi traduzido aqui no Brasil: “Uma Noite Alucinante”.
Queridos, não me canso de ver essas comédias que, precipitadamente, foram catalogadas como Filmes de terror.
Ahhhh...! As mascaras de borracha, o sangue de groselha, as gosmas verdes, azuis, amarelas, os esqueletos de fibra envelhecida, os efeitos toscos de luz + fumaça de gelo seco (salve o gelo seco!), os monstros articulados e suas cordinhas quase invisíveis!
Fico até sem palavras!
Hoje em dia você precisa assistir o mesmo filme umas 3 vezes para achar um erro qualquer e cair na gargalhada, mas antigamente isso era moda! Erros de continuidade são coisas modernas! Antigamente nem se sabia o que era continuidade!
Como foi bom ver aqueles dentes postiços do vampiro protagonista, aquelas unhas de borracha... Ou quando o assistente zumbi (era um zumbi??) leva bala a rodo do velho caçador e, depois de ter uma perna de mesa CRAVADA no peito, começa a derreter?
Aquela ênfase na gosma verde que se mistura ao sangue feito com colorau... E a areia que cai depois da gosma... E o esqueleto dele que, quando cai no chão, só se vê um amontoado de ossinhos de coxinhas de galinha rolando escada abaixo!! As gargalhadas bisonhas!!!!
Belíssimo!
Bem, eu poderia me estender por horas... No caso, linhas! Mas é preferível que você alugue e assista! Dica certa de muita gargalhada!

Tem coisas que só o filme trash faz por você!

Aqueles que me acompanham na jornada...

Wikipédia sobre a Lady Vinna (WInna)

A lei divina é eterna, imutável, perfeita, igual para todos, inscrita na consciência dos homens e revelada em todos os tempos (de acordo com a capacidade e compreensão dos homens).

Winna: "- Com tantos elogios eu fico até sem graça!"

"Os animais dividem conosco o privilégio de terem uma alma". - Pitágoras

"Os animais dividem conosco o privilégio de terem uma alma". - Pitágoras