quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Mania de Libra!



Boa noite meus queridos!

Estava pensando no que postar... o que não falta é assunto, mas como agora virou moda falar dos signos no Facebook, resolvi postar aqui a minha opinião pessoal como LIBRIANA!

Com vocês: 


Uma libriana falando sobre librianos!

Nós librianos somos todos uns amores! Somos companheiros pra todos os momento, comunicativos (até demais as vezes), bons no que escolhemos fazer, sem contar que costumamos ser eternos românticos sonhadores... contudo, meus companheiros concordarão comigo: Libriano só se fode!!

Independente do tipo de relacionamento, nosso lado humano pende demais a anulação própria em prol do outro (outra, outros) e acabamos por ser humanos demais com quem merece e, principalmente, com quem não merece!
Parece que nunca aprendemos... Mas não entenda errado – isso nem sempre é ruim! Somos alguns dos poucos que ainda têm esperanças nessa humanidade confusa. A parte ruim é que librianos costumam ter mais esperança depositada nos outros do que em si mesmos!

Librianos são 8 ou 80. Se um libriano te amar, o fará de verdade. Mas se ele for muito magoado... Talvez nunca mais ame. Isso é fato. O coração de um libriano morre com facilidade a cada mágoa, cada traição, cada desapontamento. Librianos não sabem esquecer... Eu sou prova viva disso, então vou te dar um conselho: não desaponte um libriano. Temos tendências vingativas e sabemos ser pacientes...

Librianos são ótimos amigos! Não importa o tamanho da briga: por um amigo encaramos até o Juggernaut!

Librianos de primeiro decanato têm tendências nerds... (também sou prova viva disso). Mas librianos em geral são muito curiosos e adoram novidades, principalmente as tecnológicas – Mas isso não significa que só pensemos nisso! Librianos gostam de contato com a natureza. Podemos não ser sempre atletas e esportistas, mas sabemos apreciar luares, paisagens, um belo por do sol... Somos poetas por natureza!

Librianos costumam ser sistemáticos com alguma coisa – ou com todas! Temos forte tendência à “síndrome de Peter Pan”. Não confunda isso com irresponsabilidade! Librianos são eternas crianças e isso nos mantém vivos!
Librianos trabalham duro quando estão fazendo algo de que gostem. Deixe um libriano entediado e veja o trabalho (e a vida) dele definhar drasticamente! Como eu disse, somos 8 ou 80 – Pulamos de vagabundos para workaholics com incrível facilidade! Isso depende apenas da nossa motivação!
Librianos não são bons em separar vida pessoal (emocional) de todo o resto. Sabemos esconder as tristezas para não permitir que ela contamine as pessoas a nossa volta, mas não pense que isso nos torna super-humanos insensíveis. Agimos como rocha, mas quando desabamos é difícil levantar...

Possuímos grande senso de justiça. Costumamos ser (super)protetores, as vezes as pessoas não gostam muito disso... Mas entenda: queremos abraçar o mundo! Você encontrará muitos librianos engajados com ONGs e qualquer outra entidade que seja protetora de alguma coisa, principalmente animais!
Librianos costumam pecar pela gula... muitos são gordinhos e gordinha (como eu!). Temos uma afeição quase amorosa com a culinária – Se não somos bons cozinheiros, somos bons de garfo pelo menos!

Librianos PRECISAM (e é fato!) encontrar a beleza das coisas ao seu redor. Costumamos tender a uma certa falta de auto-estima, então tentamos tornar o mundo ao nosso redor o mais belo possível. E como sabemos apreciar a beleza das coisas e pessoas. O ditado “quem ama o feio, bonito lhe parece” foi feito ou por um libriano, ou para um! Pouco importa a moda ou as tendências, acreditamos na magnitude interior das pessoas. Mais vale um belo coração do que uma bela bunda!

E falando na beleza... Por favor: somos compreensíveis, mas librianos simplesmente PRECISAM estar entre pessoas com o mesmo nível intelectual, ou, de preferência, maior! Não entenda mal... é que conhecimento nos fascina! Somos devoradores de livros (nem que sejam gibis ou HQs – ler é fundamental!)
 
Outra coisa: nunca, e eu repito: NUNCA, JAMAIS prive um libriano de boa música!
 
Enfim... poderia passar horas escrevendo sobre librianos, mas só sendo um (ou uma) pra entender o que é viver equilibrada na corda bamba 24 horas por dia – e ainda por cima vendada meu bem!! Não é mole essa vida de balança...

Bjos e Qjos!

By Winna

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Estudantes x Sociedade

Boa noite meninos e meninas

Espero que estejam todos bem e sentados, pois o post de hoje é sério, longo e de certa forma, relevante. E sim, é sobre a ocupação da reitoria da USP e sua repercussão.

Normalmente as pessoas reagem assim: "Não é nada contra o maconheiro, coitado! ele é uma vítima..." ou a gente escuta "por que a polícia não vai atrás dos bandidos, ao invés de perseguir um ou outro maconheirinho...?". Então vem a pergunta que não quer calar aqui, entre o meu tico e o meu teco:

POR QUE DIABOS AS PESSOAS ACHAM QUE FUMAR MACONHA NÃO É CRIME?

Quem você acha que vende a maconha? Acha que se compra isso na farmácia popular? No mercadinho da esquina? A maconha, assim como a cocaína, o crack, a heroína e tantas outras drogas são produtos ILEGAIS, desde a compra, venda e até o porte das mesmas! Então, se é ilegal, me diga: por que raios algumas pessoas defendem que “um baseadinho não faz mal a ninguém”? (e todo mundo sabe disso – não me venha com colóquios flácidos para acalentar bovinos).

Continuando com essa linha de pensamento: O problema na USP começou com a revolta de uns porque outros estavam sendo detidos pois foram pegos fumando maconha... correto? Não entendi até agora! Meu bem, isso É crime! Os policiais estavam cumprindo com o papel deles, o que é raro hoje em dia (segundo a voz do povo, a voz de deus).
Agora veja lá - antes que alguém me xingue de qualquer coisa, que fique bem claro: ODEIO violência. Não sou a favor de como algumas “autoridades” tratam a população em geral, principalmente os estudantes. Eu SOU estudante também, e por acaso, de uma universidade pública, onde muitos alunos e funcionários são obrigados a conviver com a insegurança diária da falta de policiamento dentro do campus, pois a PM não pode entrar na universidade e a Polícia Federal (que em tese é quem deveria responder às chamadas) também nem dá as caras... Quanto à segurança do campus, segundo alguns vigilantes: “estamos aqui para proteger o patrimônio da Universidade (e só)”.
Agora, sabe porque a PM não pode entrar no campus? Porque foi “votado” e decidido que seria assim (por só Deus sabe quem... pois eu mesma não sei e nem fui consultada sobre!).
Apesar de não poder provar minha teoria, às vezes creio que isso tem haver (ou não) com os filhinhos de papai que adoram fumar “unzinho” no bosque, ou dos outros filhinhos de papai que aprontam aqui dentro... Enquanto isso, funcionários e alunos são agredidos, assaltados e já houve até boatos sobre estupros... Mais uma vez contemplamos uma minoria representando (inapropriadamente) uma maioria que sofre com tantos abusos.

Será que estudantes universitários são tão desinformados a ponto de não saber que quando você alimenta o crime, o crime se volta contra toda a sociedade, inclusive contra os próprios estudantes? Quem você acha que alimenta o traficante? Independentemente do tipo de droga que se compra, a verba é revertida única e exclusivamente para o fortalecimento do crime organizado. Reclama-se da corrupção, mas paga-se propina. Condena-se o ladrão, mas ele tem comprador certo para o produto do furto. Infelizmente meus caros, não há mérito nenhum em quem reclama de um ilícito por um lado e comete um ilícito por outro!

Teorias filosóficas a parte, sou plenamente a favor das campanhas estudantis em prol dos direitos dos estudantes e da população em geral. Estudantes não são vagabundos nem desocupados – estes são uma parcela bem pequena, tendo em vista os tantos outros que se dedicam aos estudos. Historicamente, alguns movimentos estudantis já mudaram (e muito) a cara deste país! Estudantes sempre estão metidos em protestos, passeatas e afins, só que a população “leiga” entende isso da forma errada – não fazemos isso por gostar de badernas ou balburdias, isso ocorre porque, normalmente, a população estudantil anda mais atualizada quando ao cenário político-social de determinada região, o que por sua vez é, em outras palavras, informação. Nos dias de hoje, mais do que nunca, a informação é difundida em grande velocidade. Os estudantes que você vê nas ruas com a cara pintada e megafone em mãos (e na sua maioria, sem nenhum dinheiro no bolso) são nada mais, nada menos que cidadãos se prostrando em prol de um país melhor, mais justo, igualitário, digno e ético.

Sim meu caros... a imagem distorcida dos estudantes nos dias de hoje é de culpa, na maioria dos casos, da mídia manipulativa, pois não é interessante a eles um povo mas crítico, com opinião formada e atitude. Isso seria muito contraprodutivo.

É necessária muita coragem, confiança e convicção do seu papel na sociedade para enfrentar todo um sistema corrupto e uma população preconceituosa e desinformada. Essa tarefa está longe de ser fácil ou agradável, mas quando a luta é vencida, até vale a pena ser taxada de desocupada, baderneira, vagabunda e por aí vai. O que importa é nossa consciência tranqüila frente a nossa responsabilidade social.
Exceções existem. Filhos de papai revoltados por nada, que gostam de aparecer, também, mas não julguemos toda uma cesta por conta de uma ou outra maçã podre. Gente irresponsável tem em todo lugar, mas não podemos generalizar. O que nos falta é a compreensão: dos governantes, dos representantes, dos dirigentes e da sociedade principalmente.

No fim das contas, comprar, vendar e usar de drogas é crime. Não tem mistério.
Gente desocupada existe, mas não são eles que fazem a diferença. Infelizmente eles acabam chamando mais atenção do que deveriam.
Agora, quanto à violência... Ela é o mal dos dias de hoje e a expressão mais evidente de falta de humanidade de muitos indivíduos.


Se os jovens são o futuro do país e muitos destes jovens são os estudantes que você julga antes de procurar compreender, então que crédito você está dando para o seu futuro?

Vale a pena refletir sobre, não vale?

 
By Winna A.

Aqueles que me acompanham na jornada...

Wikipédia sobre a Lady Vinna (WInna)

A lei divina é eterna, imutável, perfeita, igual para todos, inscrita na consciência dos homens e revelada em todos os tempos (de acordo com a capacidade e compreensão dos homens).

Winna: "- Com tantos elogios eu fico até sem graça!"

"Os animais dividem conosco o privilégio de terem uma alma". - Pitágoras

"Os animais dividem conosco o privilégio de terem uma alma". - Pitágoras