sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Quem apóia quem no Brasil?



É muito fácil reclamar do policial corrupto, do socorro que demorou a chegar... É muito fácil dizer que "Ele escolheu esse emprego por vontade própria" ou "Já sabia que era assim, não pode reclamar"... É muito fácil querer segurança pública de qualidade enquanto se prega que alguém deve arriscar a própria vida pela sociedade  a custas de R$ 900,00... Essa mesma sociedade que critica, desdenha e difama...

ISSO É UMA VERGONHA Sr. Sérgio Cabral e Cia!

"Mas e o carnaval?"

O Carnaval? Você por acaso pularia carnaval se soubesse que pode ser roubado, agredido, seqüestrado, violentado ou assassinado durante a sua folia? Pularia carnaval se a sua casa pegasse fogo e ninguém pudesse te socorrer? Pularia carnaval sabendo que tem de ir pra estrada sem ninguém para te acudir no caso de um acidente? Pularia?
Todos sabemos muito bem que a resposta é não!

Se você vai pra folia é porque tem lá no fundo esperança de que vá encontrar um cenário seguro para se divertir. E sabe as custas de quem você se diverte? Desses mesmos agentes de segurança pública, que muitas vezes são verdadeiros heróis e que tem de enfrentar essa corja de corruptos, com sua politicagem mesquinha e essa barbárie que é a manipulação dos meios de comunicação, tentando fazer com que o povo se confunda na hora de distinguir o vilão do mocinho.

Isso precisa de um basta! Muitos se apropriam indevidamente do suado dinheiro do povo, que trabalha e arca seus impostos (absurdamente altos) em dia, enquanto aqueles que realmente merecem um pagamento ao menos DÍGNO pelo exercício de suas profissões têm de sobreviver com uma miséria incabida, sendo chamados de pilantras, vagabundos, baderneiros, acusados de incitar um cenário contra o qual lutam todos os dias, que é o da desordem social, do caos urbano.

Meus queridos, nossas vidas não têm preço! E nem a deles! E vocês vêm me perguntar “E o carnaval?” Tenho coisas bem mais importantes com as quais me preocupar!

O que você acha mais vergonhoso: Os agentes de segurança, que lutam por uma causa válida, por um aumento merecido de seus salários, ou os deputados que votam em causa própria, as escondidas, para que seus salários já obscenamente altos sejam ainda maiores e sem nenhuma explicação plausível!? Afinal, coitadinhos... Quem consegue sobreviver nesse país ganhando só R$ 12.000? É bastante coerente que eles aumentem o salários deles em 91%, passando para R$ 24.500 – E ainda é pouco, não é?

O Povo não! Esse pode muito bem (sobre)viver com “600 pilas” por mês, que está de muito bom tamanho!

Se era pra rir eu não achei a menor graça na piada...

Enquanto o nosso povo não souber valorizar o suor e a dedicação de um professor, um policial, um bombeiro, um médico, um gari, um pedreiro e até mesmo de um catador de lixo... Resumindo: de todo trabalhador honesto, nós seremos assim, um país sem força, sem união, oprimidos e passivos frente as próprias mazelas!

Nosso país necessita de uma educação pública melhor, uma saúde pública melhor, de uma melhor segurança pública também, dentre tantas outras necessidades urgentes...

Mas enquanto você cidadão ficar aí sentado, assistindo ao BBB e acreditando em tudo o que o Sr. Sérgio Cabral e a “plim plim” vomitam sobre você, o nosso país continuara do mesmo jeitinho em que está:
Com este vergonhoso quadro de corrupção e descaso
Com essa vergonhosa falta de caráter dos nossos governantes
Com o povo cada vez mais alienado, sendo taxado de inocente e tratado como idiota
Com estudantes e trabalhadores sofrendo agressões físicas e psicológicas enquanto lutam por causas verdadeiramente válidas em seu contexto social e democrático
E com aqueles que nos protegem sendo chamados de bandidos e tratados como tal

O que falta ao povo brasileiro é tomar vergonha na cara e compreender de uma vez por todas que se nós não tomarmos as rédeas do nosso país, essa carroça vai quebrar com todo mundo dentro!
Menos os “espertos” que deram um jeitinho de desviar uma verbinha lá pra fora...
Esses não! Eles descem de pára-quedas quando a coisa apertar!


Olho aberto meu povo!
 
By Winna A.

sábado, 4 de fevereiro de 2012

Eu, Jesus e as Bruxas

Vamos falar um pouco sobre fé, intolerância e amor?



Quem me inspirou a tal "monólogo" foi uma amiga que guardo com muito carinho nesse meu coração besta, Srta. Thiara Avívit. Estarei repetindo aqui algumas palavras que citei em uma postagem no blog dela:

Sempre falo sobre "Deus" para as pessoas, da forma que eu o vejo (nem mulher, nem homem, mas as duas coisas dependendo do momento) - E prefiro chamar assim mesmo: Deus. Ainda que seja uma palavra mais "masculina" na cabeça das pessoas.

Cresci acostumada com essa palavra e as pessoas a aceitam melhor - Mas Deus é pai, é mãe, é uma família que acolhe a gente quando nada mais consegue fazê-lo.

Outro detalhe: Deus pode ser um, pode ser muitos... Tudo depende de como você o percebe – Porém isso não altera a essência de Deus. Não seja tão prepotente assim...

Triste é quando as pessoas não conseguem aceitar a percepção alheia né? Eu tenho a minha percepção do divino, cada um tem a sua, algumas pessoas não a tem e ninguém tem nada haver com isso.

Se temos uma religião ou não, não importa! Até mesmo Jesus quando veio ao mundo não pregou nenhum tipo de religião! Ele pregou o amor, a amizade, a humildade, a compaixão, a caridade, o perdão, a paciência... Dentre tantos outros sentimentos que nos elevam a alma!

Se eu prego essas coisas, seja num ritual pagão, rezando ajoelhada em uma catedral, orando em silêncio em um culto evangélico, meditando sobre ensinamentos budistas, me disciplinando no sagrado templo ou ao ar livre, simplesmente sendo feliz e desejando o bem ao próximo, isso alegrará a mim e a Deus, seja ele como for, quantos for, da forma que for!

Que criador não se regozija na prosperidade de sua criação?

Entretanto: Nunca pense que a religião te salvará de nada! O que te salva, seja lá do mal que for, é a sua fé! A fé te cura, move montanhas, faz até shows pirotécnicos, não a religião! Essa, infelizmente, parece ter muito mais o “dom” da destruição, como podemos ver nos dias de hoje e com o recordar da nossa história...

Se eu sou o que sou é porque a minha percepção me mundo e de divino me esculpiram assim. Parte da culpa também é dessa minha amiga louca que apareceu no meu caminho da forma mais inesperada e até hoje ocupa um lugar muito especial na minha vida! Ela me ajudou com muitos medos e dúvidas, em uma fase muito complicada da minha vida física e espiritual.

Nós duas passamos por maus bocados... E quando o assunto foi a nossa religião a coisa não foi diferente. A ignorância de parentes, amigos e afins acabou por nos deixar marcas na pele e no peito, mas não se muda a fé de ninguém.

Tá pensando que é fácil dizer a alguém que você é bruxa? As pessoas acham que você invoca demônios (por mais que a gente nem acredite neles), ou que a gente participa de surubas ao ar livre, ou que comemos criançinhas, ou que você fica escrevendo o nome dos outros na boca do sapo... Sei lá! Já fui acusada de tantas coisas, quando o que eu faço é contemplar a natura, a vida e sentir o toque de Deus em casa gota de chuva, cada planta, cada animal, na terra sobre meus pés e em cada mudança de tempo, de clima, cada estrela... E até no meu próximo! E é por isso que eu e muitas pessoas somos condenadas, taxadas e apontadas: Por perceber o criador em cada peculiaridade de sua criação.

Ah sim, quanto à palavra bruxa: Antes de querer fazer piada, me sacanear com algum desenho idiota, ou simplesmente me taxar de adoradora do capeta (que eu nem conheço, não sei onde mora e nem do que gosta), lembre-se: se você (ou alguém da sua família) já fez um chá pra tirar uma dor, usou uma pomadinha natural, foi numa rezadeira ou passou algum tipo de óleo ou unguento ou preparado a base de alguma planta, esperando que aquilo ali curasse algo... sinto lhe dizer que você praticou bruxaria! E esses foram os exemplos mais chulos que eu achei hein!

Que coisa, não?

Então é isso! Tudo o que disse aqui é proveniente das minhas experiências de vida nesse pouco tempo em que estou a habitar este mundinho.

Sejam boas pessoas, preguem o bem sem olhar a quem! Isso sim importa, não o título ou rótulo que as pessoas nos dão. Minha religião não me torna melhor ou pior: isso é uma responsabilidade minha, do meu caráter, da minha consciência.

E fiquem com Deus, em todas as suas formas, em toda as suas concepções!

By Winna A

Aqueles que me acompanham na jornada...

Wikipédia sobre a Lady Vinna (WInna)

A lei divina é eterna, imutável, perfeita, igual para todos, inscrita na consciência dos homens e revelada em todos os tempos (de acordo com a capacidade e compreensão dos homens).

Winna: "- Com tantos elogios eu fico até sem graça!"

"Os animais dividem conosco o privilégio de terem uma alma". - Pitágoras

"Os animais dividem conosco o privilégio de terem uma alma". - Pitágoras