quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Reflexão sobre o falhar: "Errar é humano"




Boa noite pessoas queridas!


Como eu prometi, dois posts em um dia!

Este post na verdade foi uma publicação minha no face que gerou alguns bons (drinks) papos subsequentes.


Me interessei em postá-lo aqui não porque eu me sinta "a mais nova filosofa do pedaço", mas sim porque acho coerente o assunto, ainda mais com o fim do ano tão próximo (e quem sabe o fim do mundo também), e nesta época algumas pessoas começam a por "o ano na balança" e, por muitas vezes, deixam de dar o devido valor a si mesmas e seu feitos, diminuindo-os ao máximo, num ciclo de cobranças que mais atrapalha do que ajuda.

Começou mais ou menos assim: conversas vão e voltam, e nesse meio tempo surgiu o assunto "cobranças pessoais". Ao desenvolver do assunto, veio aquela questão: Ninguém é perfeito - mas a gente sempre busca a perfeição! Nos punimos severamente (dependendo da pessoa em questão) por um erro ou falha cometidos... E foi deste ponto que eu escreve o texto que vem a seguir:



Me responde aí: e quem é que nunca falhou? Quem que você conheça é infalível, perfeito, dono das verdades e da razão? (Não vale dizer: "EU"!!)

Enfim... acho que a resposta mais lógica (correta seria muita presunção minha) é esta: Ninguém!

Nós falhamos com nossos pais, assim como eles falharam com os deles em algum momento. O mesmo se dará com nossos filhos, e eles também falharão em algum momento. Amigos, amores, profissões... principalmente com nós mesmos nós iremos falhar. Na verdade, costumamos falhar muito mais com conosco do que com os outros, porque a dor do outro é muito mais insuportável que a nossa... 

Pouco nessa vida se aprende só acertando ^^ São nossas falhas e nossa capacidade de admiti-las que nos lapida o caráter. Quem nunca falhou numa relação, seja ela qual for, jamais dará lhe o devido valor (é claro que existem exceções...).

Este argumento é tão cabível com uma "verdade" (e não "A verdade"), que os mais velhos sempre nos aconselharam a "Aprender com os erros dos outros...". Perceba que, mais uma vez, o erro é aquele professor carrasco, carrancudo e que ninguém gosta, mas também é aquele cujo conhecimento foi melhor assimilado.

O erro (ou o falhar) é um aprendizado mais duro, por vezes penoso, mas também é mais profundo e duradouro.

É claro que nem só de erros se vive a vida. Erros são atos falhos, por descuido, desatenção ou mesmo egoísmo, raiva, tristeza, medo, ódio... amor! Praticamente qualquer sentimento pode nos embaçar a razão e nos propiciar ao erro, cabe a cada um evitar tropeçar na mesma pedra por mais de uma vez!

Falhas nos ajudam a crescer quando são assumidas, quando geram aquela necessidade de serem reparadas, mas não a qualquer custo. Alguns erros são caros demais para serem pagos, estes são aqueles cuja gravidade é proporcional a vigilância que devemos manter sobre nós mesmos para evitá-los. Contudo, erros mais brandos, sanáveis, devem sim ser corrigidos ou, ao menos, reparados dentro das limitações em torno deles. É o que define a tão esperada "responsabilidade". Responsabilizar-se, tomar para si aquilo que lhe cabe.

Enfim, o termo "Errar é humano" sempre me pareceu errado (irônico, não?). Acho que a frase que melhor caberia seria algo como: "Errar é natural de tudo que é vivo, porém, cabe aos seres com consciência o reparo de seus erros".

Mas aí o ditado não funciona né?

=)

- - - - - - - - - - - - - - - - - -

Bom, era isso que eu queria passar a diante!

O fim de ano está aí! Vamos sim tentar melhorar, tentar arrumar as coisas, mas acima de tudo, nada de querer passar por cima de si mesmo para agradar o coleguinha, e nem passar por cima dos outros para se agradar!

Entendido?

=***

By Winna A.

Enquanto o apocalipse zumbi não chega




BOA TARDE MOLECADA!! Sentiram saudades? 

Bem, estava sem dar notícias a uns... Deixa ver... 5 meses?
Por aí né... So sorry pessoal, a facul me consome! Já perdi a noção do tempo, o bom senso, os cabelos, o dinheiro, o namorado... Eu só vivo para a arquivologia agora! (Ok ok - Pode rir, vai!)

Mas aproveitando o intervalo no trabalho e a proximidade do evento mais esperado do ano - O fim do mundo - eu não poderia correr o risco de não vir aqui lhes deixar algumas palavras! (E vejam só: hoje teremos, seguidos, DOIS POSTS! Incrível não?)

\o/ Eu não desisto nunca! \o/

Enfim, muitas pessoas estão planejando essa viradinha cataclísmica e apocalíptica (não, não me refiro a banda) que os Maias, os Astecas, Nostradamus, os Iluminatis, a mãe Diná, o Walter Mercado e mais uma penca de outros povos, filósofos, videntes, visionários, líderes religiosos, seitas e todo o tipo de  desocupados previram, no passar das eras, que o mundo iria fazer CAPUT!

Um dia eles acabam acertando, nem que seja por eliminação né?

Bem - Eu sou uma dessas pessoas. Não que eu acredite que o mundo vá acabar no dia 21-12-2012 (20-12-2012 é muito mais cabalístico na minha opinião), MAS, vai que as trombetas tocam, um meteoro atinja a terra, os mortos voltem a vida (No caso de alguns músicos ia ser até bacana), ou qualquer dessas coisas bizarras aconteça... Bem, quero ver de camarote né?!

Então queridos e queridas, se esconder não me parece a solução mais eficiente  - a não ser que você possua um bunker bacana, bem abastecido, confortável e que consiga te proteger desde um tsunami até possíveis contaminações radioativas de toda espécie - NESSE CASO, vá e me convide, plz.

De qualquer forma, isso depende muito do grau de importância que você está dando a esse tipo de evento. No meu caso, estou mais preocupada com o fato de não receber 13º nesse ano do que com o fim do mundo... Até porque, isso me livraria de alguns problemas...

Então, como eu sou pobre e não conto com tais recursos, vou seguir os conselhos de uma amiga: Nessas situações, compre umas bebidas, vá para uma praia, montanha, o diabo que for (e que te agrade) e curta a paisagem!

É claro que eu gostaria de acrescentar armar e munição nessa lista, mas porra... Eu moro perto da praia! Se um monte zumbi correr atrás de mim é melhor ter um barco do que confiar na minha mira (sem contar que na vida real, as armas precisam ser carregadas, e mais que isso, não existe pistola com munição infinita! O resident evil nos iludiu esse tempo todo"). Então o negócio é subir no barco, levar comida, água, bebidas e remédios (e outras cositas mas) e virar pescador até esse climinha ameno do Brasil transformar os mortos-vivos em sol e ficar bem longe de Uganda (e suas constantes epidemias de ebola.. ).

No fim das contas (trocadilho safado esse), bom mesmo é levar na esportiva. E caso tudo dê errado, relaxa: não vai ser só com você dessa vez!

=)

Até o fim do mundo pessoal! Ou o fim do ano! O que vier primeiro!

=**

By Winna A.

Aqueles que me acompanham na jornada...

Wikipédia sobre a Lady Vinna (WInna)

A lei divina é eterna, imutável, perfeita, igual para todos, inscrita na consciência dos homens e revelada em todos os tempos (de acordo com a capacidade e compreensão dos homens).

Winna: "- Com tantos elogios eu fico até sem graça!"

"Os animais dividem conosco o privilégio de terem uma alma". - Pitágoras

"Os animais dividem conosco o privilégio de terem uma alma". - Pitágoras